PASSOS PARA CRIAÇÃO DE UM GRÊMIO ESTUDANTIL

Passos para criação de um Grêmio Estudantil
1. Comissão pró-grêmio divulga uma assembleia geral dos estudantes. A assembleia decidirá:
  • A aprovação de um estatuto
  • Eleição de uma comissão eleitoral (não pode ser formada por membros de chapas)
  • Aprovação de um calendário para eleições no Grêmio (inscrição de chapas, período de campanha e votação)
  • Aprovação do modelo eleitoral (majoritário ou proporcional)
  • Aprovação do modelo de gestão do Grêmio (presidencialismo, direção colegiada ou autogestão)
  • Aprovação do nome para o Grêmio.
2. Cabe a comissão eleitoral:
  • Divulgar o calendário eleitoral.
  • Divulgar como e onde será feita as inscrições de chapas (cada chapa deve ter um nome, os nomes dos integrantes da chapa e o organograma da chapa de acordo com o estatuto. A cada chapa também será atribuído um número.)
  • Caso mais de uma chapa faça inscrição, a comissão pode propor e organizar um debate.
  • Solicitar a listagem geral de alunos a direção da escola para que possa ser usada no momento da votação, para confirmar se o aluno é matriculado na escola e para que ele possa assinar ao lado do seu nome.
  • Produzir uma cédula para a eleição.
  • Arrumar uma urna para eleição. A urna pode ser improvisada, porém, devidamente lacrada.
  • Escolher um local de votação onde ficará uma mesa, a urna, a listagem de alunos e as cédulas.
  • Apuração. A comissão eleitoral deve escolher um lugar tranquilo, para que, junto com um representante de cada chapa, faça a apuração dos votos.
  • Ao final da apuração deverá ser feita uma ata onde será escrito o número de votos de cada chapa e declarar a chapa vencedora.
MATERIAL DE APOIO
Diferenças entre os modelos de gestão:
  • Presidencialismo: onde o presidente tem o poder de deliberar/decidir pelo Grêmio, estando acima dos outros membros da diretoria. Um exemplo de organograma de uma gestão presidencialista teria o presidente, vice presidente, tesoureiro, secretário e diretores.
  • Direção colegiada: não há presidente, há uma direção normalmente dividida em cargos. As decisões são tomadas de forma coletiva. Um exemplo de organograma de direção colegiada teria diretor de cultura, diretor de esportes, diretor de ensino e formação, diretor de finanças, etc.
  • Autogestão: na autogestão não há direção nem eleição, os estudantes simplesmente se reúnem em assembleias gerais e decidem como vão atuar.
Diferenças entre os modelos eleitorais
  • Majoritário: onde a chapa que tiver mais votos assume toda a direção do Grêmio.
  • Proporcional: onde os cargos da direção são divididos proporcionalmente ao número de votos de cada chapa. Por exemplo, se em uma eleição com duas chapas, uma chapa teve 60% dos votos e a outra 40%, uma chapa vai ter 60% dos diretores e a outra 40%.
As eleições para vereador e deputado no Brasil usam o modelo proporcional, já as eleições para prefeito, senador, governador e presidente usam o modelo majoritário.
loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *